Certificação LEED poderá ajudar a preservação da Amazônia

A certificação LEED, reconhecimento internacional para construções comprometidas com o meio ambiente, poderá ser recebida por empreendimentos imobiliários que decidirem apoiar o financiamento de projetos de sustentabilidade na Amazônia.

A ação é resultado de uma parceria entre o Green Building Council Brasil (GBC Brasil), responsável pela Certificação LEED no País, e a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), e deve beneficiar 9 mil famílias moradoras de 16 Unidades de Conservação (UC) do Estado do Amazonas e 580 comunidades tradicionais do interior do Estado.

A FAS é a responsável por receber as doações para o apoio à conservação da região Amazônica. O donativo é proporcional à área do edifício em certificação, que pode variar de US$ 0.05 por m² anuais para edifícios já existentes a US$ 4.00 por m² para novas edificações.

Em troca, a construção recebe um ponto na certificação de edificações verdes, que pode eventualmente significar o credenciamento da edificação ao LEED, que é dividida nas categorias Básico, Prata, Ouro ou Platina, conforme a pontuação alcançada.

As doações são exclusivamente destinadas às atividades concretas de conservação ambiental e desenvolvimento sustentável de comunidades ribeirinhas das Unidades de Conservação do Amazonas. Este território soma 10,9 milhões de hectares – equivalente à área de Portugal.

Para Felipe Faria, diretor executivo do GBC Brasil, a contribuição do movimento de green building comprova a sua relevância e, hoje, por meio da ferramenta de certificação LEED ou GBC CASA & CONDOMÍNIO destinada ao setor residencial, é inserida uma opção para a restauração e preservação do habitat natural, que inclui investimentos na Floresta Amazônica, a partir dos projetos dirigidos pela FAS.

“Hoje, temos mais de 100 mil edificações buscando a certificação LEED em 167 países, e é de suma importância relacionar esse trabalho nas cidades com a preservação das florestas e das populações que residem em áreas que carecem de serviços públicos especiais”, afirma o executivo.

Paiva completa: “esta iniciativa demonstra que sustentabilidade não possui fronteiras e que todos podem contribuir com a preservação e restauração de um dos maiores bens da humanidade, a Floresta Amazônica”.

Virgílio Viana, superintendente geral da FAS, explica que a entidade tem se destacado no cenário nacional e internacional, com nove anos de experiência na implementação de programas pioneiros de geração de renda, melhoria de qualidade vida e empoderamento comunitário.

“A parceria com o GBC Brasil representa uma oportunidade histórica de conectar um setor que é responsável por uma parcela importante das emissões de gases de efeito estufa com a redução do desmatamento na Amazônia”, ele afirma.

De acordo com Viana, esta é uma prática que deveria ser adotada de uma maneira mais ampla, por diferentes setores. “O fato de termos desenvolvido um mecanismo para o setor de construção tem um simbolismo histórico muito relevante. Esperamos que se torne um instrumento exitoso tanto para os que constroem quanto para os que lutam para a conservação da Floresta Amazônica”, enfatiza Viana.

Independentemente da certificação LEED, empresas ou cidadãos podem contribuir com a FAS através do site da Fundação Amazonas Sustentável.

Quer saber as notícias do Portal HVAC-R em primeira mão? Siga-nos no Twitter @portal_hvac,  Facebook @PortalHvacR, Instagram @portalhvacr e linkedin Portal HVAC-R

Fonte: Going Green

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *