Consolidação e Transformação do Setor Elétrico

Por Carlos Simionato, consultor do segmento de Utilities da Logicalis

O Brasil está passando por uma grande transformação do setor elétrico. Nesses últimos anos, vimos grandes

Carlos Simionato, consultor do segmento de Utilities da Logicalis
Carlos Simionato, consultor do segmento de Utilities da Logicalis

companhias com forte apetite de consolidação, especialmente no setor de distribuição. Só para citar alguns exemplos, em 2017, a chinesa State Grid adquiriu o controle da CPFL, e, em 2018, o grupo espanhol Iberdrola, incorporou a Elektro ao grupo Neoenergia, assim como a ENEL fez a aquisição da Eletropaulo. Ainda neste último mês, foi realizado o leilão da CEPISA, uma das distribuidoras da Eletrobrás, que foi arrematada pelo Grupo Equatorial.

Todos esses movimentos trazem grandes desafios para que as empresas se transformem, investindo fortemente nos seus negócios. É um cenário que incentiva a ruptura do modelo tradicional, pois as organizações deixam de entregar apenas energia e passam a interagir com o consumidor para entregar a ele serviços de alto valor agregado.

Portanto, este é um momento propício para que as empresas invistam em tecnologia e inovação. A transformação digital, que vem ocorrendo em outros setores, é um elemento chave para o sucesso das companhias, podendo melhorar, inclusive, sua competitividade no mercado.

A partir dessa transformação, as empresas de energia conseguem aumentar sua eficiência operacional, entregar serviços de maior valor agregado aos seus clientes e criar novos modelos de negócio baseado em tecnologia e serviços.

Também deve gostar: Eficiência energética é fundamental para futuro com cidades sustentáveis

Atualmente, há diversas tecnologias e serviços emergentes que podem ser aplicados no setor elétrico:

  • IoT: o uso da internet das coisas para conectividade e sensoriamento de ativos, redes, equipes, equipamentos e subestações pode trazer ao negócio informações antes desconhecidas e prover melhorias significativas ao ambiente operacional;
  • Machine Learning: a tecnologia permite, por exemplo, a detecção de padrões de consumo de energia, de forma a identificar fraudes comerciais, garantindo a recuperação de perdas e o aumento de receitas;
  • Blockchain: permite o registro de transações de forma mais segura, transparente e eficiente. A tecnologia pode ser usada, por exemplo, na geração, distribuição e compartilhamento entre consumidores e/ou distribuidoras de energia;
  • Cloud: os serviços de cloud computing garantem ganho de escala e otimização de recursos para atender a novas demandas do negócio de forma mais ágil e segura;
  • Cyber Security: o uso da tecnologia apropriada ajuda na visibilidade de ameaças e proteção da infraestrutura e dados, garantindo o aumento da disponibilidade do ambiente e a continuidade do negócio;
  • Big Data e Analytics: plataformas inteligentes permitem a automatização e gerenciamento de sistemas, processos e pessoas, otimizando as atividades e recursos, e agregando alto valor aos negócios.

Acredito, assim como muitos profissionais da área, que as empresas que não se transformarem digitalmente ficarão para trás. O futuro do setor elétrico será desenhado a partir do uso apropriado dessas tecnologias e serviços. Não só as companhias irão ganhar com essa evolução, mas a sociedade terá serviços com melhor qualidade, tanto na entrega de energia como nos novos serviços que surgirem.

É um futuro digital e mais conectado que nos espera, e a transformação digital é um caminho inevitável para que as empresas de energia possam ter sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *